20/4/2017 17:44

Palmeiras mantém rotina de mistério e treina cobranças de pênaltis

Fernando Prass defende trabalho sem a presença da imprensa na Academia e fala sobre uma eventual decisão nas penalidades: "Vou tentar defender, bater não é comigo"

Palmeiras treinou pênaltis e bolas paradas nesta quinta-feira (Foto: Felipe Zito)

Mais um dia de trabalho com portões fechados na Academia de Futebol. Ou pelo menos grande parte da atividade da manhã desta quinta-feira. Quando a imprensa foi liberada para acompanhar o fim do dia dos jogadores, do Palmeiras o grupo estava dividido em dois campos em treinamentos de cobranças de pênalti e faltas, o que é rotina no dia a dia dos atletas.

Ídolo da torcida, Fernando Prass já cobrou duas penalidades com a camisa alviverde. Na primeira, foi dele o gol que deu ao clube o título da Copa do Brasil de 2015. Na segunda, ele desperdiçou a cobrança que eliminou a equipe então dirigida por Cuca na semifinal do Campeonato Paulista do ano passado. E se precisar bater agora em 2017?

– Eu vou tentar defender (pênaltis), bater não é comigo. Têm outros que batem melhor. Na Copa do Brasil foi esporádico porque saíram batedores nossos, outros não estavam inscritos e tinham meninos, Taylor, Matheus Sales e por isso bati. Eu sou jogador como qualquer outro. Se o treinador quiser e eu tiver confiante, bato. Mas vamos primeiro pensar nos 90 minutos – afirmou o goleiro.

Para levar a decisão para as cobranças de pênaltis, o Palmeiras precisa vencer por três gols de diferenças. A Ponte Preta chega para o duelo do próximo sábado com a experiência de ter eliminado o Santos nas penalidades, em partida disputada no Pacaembu.

– Tem pênalti indefensável, sim. Não vou dizer que todo pênalti bem batido é gol. Mas um pênalti com firmeza no canto a chance de entrar é muito grande. Óbvio que temos de treinar pênaltis, porque pode se apresentar. Mas antes temos 90 minutos para fazer o placar que leve aos pênaltis – disse Prass.

Depois de curtir duas folgas no início da semana, o Palmeiras se reapresentou na Academia de Futebol na quarta-feira. Todos os trabalhos táticos da preparação alviverde para a partida contra a Macaca serão fechadas para os jornalistas. O goleiro defende o mistério em um momento decisivo da temporada.

– Muita gente critica fechar treino. Às vezes vai fazer uma jogada ensaiada e se deixar o treino aberto não é surpresa. Fazer uma variação de time, jogar com cinco atacantes, sem zagueiros, o adversário se prepara. De repente a primeira jogada do jogo é ensaiada e sai o gol. Visto por todo mundo não é. Pode criar alternativas. Não significa que vá fazer algo diferente, mas pode treinar sem o adversário saber – avaliou.

15981 visitas - Fonte: Globo Esporte

Mais notícias do Palmeiras

Notícias de contratações do Palmeiras
Notícias mais lidas

vomos verdão vomos quebra a ponte pra cima deles!

vcs assistiram os lances do gol, laterais muito fraco porque não deixou o Fabiano

Olavo Marques     

estou confiante mais acho que tem que colocar u Vitor Hugo ele é mais rápido que Dracena

Nene Marcos     

tanta frescura que se não ganhar não valeu de nada!!! técnico fraco, muito ruim e se ele continuar não vamos ganhar nem medalha de latão...

Nilson Agostinho     

everton 171

Sidnei Ramos     

Eu boto fé que vamos vira esse jogo

Everton Barros     

oi boa tarde desbloqueio todos os canais fechados de TV por assinatura de qualquer lugar do Brasil Premiere combate telecine HBO e canais adultos e também reduzimos o valor da sua fatura mais informações sobre o assunto chamar no ZAP 11961642330

Cosme Primo     

vamos ganhar no tempo normal
pênalti é loteria não dá a lógica

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias