13/11/2017 14:10

Palmeiras diz que protesto de torcida pôs profissionais em risco e leva caso à polícia

Clube divulgou nota oficial após episódio do último domingo, na Academia de Futebol

O Palmeiras emitiu nota oficial no início da tarde desta segunda-feira para informar que solicitará abertura de inquérito policial para apuração do episódio do último domingo, quando torcedores organizados arremessaram objetos nos veículos que transportavam a delegação da Academia de Futebol para a arena.


Segundo relatos, estilhaços de vidros teriam atingido duas pessoas: o atacante Keno e uma funcionária da comissão técnica, que estava em uma van atrás do ônibus do time.

O episódio ocorreu antes vitória sobre o Flamengo. Torcedores protestavam em frente ao centro de treinamento – cobrando, entre outras coisas, a demissão de 11 atletas – e atiraram objetos no veículo, incluindo pamonhas, bananas e pipocas.

Ao final do jogo, o atacante Dudu, capitão da equipe, lamentou o ocorrido.

– A gente ficou um pouco triste. Saindo para trabalhar... Não sei se foi pedra, o que foi, mas quebrou o ônibus. Jogaram alguma coisa no ônibus, veio estilhaço. Mas é passado isso aí – disse.

Veja a nota oficial do clube:

A Sociedade Esportiva Palmeiras lavrou Boletim de Ocorrência e irá solicitar a abertura de inquérito policial para que se apure o lamentável episódio deste domingo (12) envolvendo o ataque aos veículos que transportavam a delegação para a partida contra o Flamengo.

Dois integrantes do Departamento de Futebol do Palmeiras foram atingidos por estilhaços dos vidros que foram quebrados por manifestantes que acompanharam a saída do ônibus da Academia de Futebol.

Muito mais do que danificar um patrimônio do Palmeiras, colocar em risco a integridade física de seres humanos, profissionais que estavam no exercício de suas atividades, é inadmissível e injustificável. Por isso não vamos tolerar tais condutas.

Como Presidente do Palmeiras reforço que, enquanto eu ocupar este cargo, não haverá qualquer tipo de diálogo autorizado pela Diretoria entre integrantes de torcidas organizadas e jogadores do clube.

Reitero que seguirei mantendo a política de não conceder qualquer privilégio às torcidas organizadas. O clube valoriza muito seu torcedor e respeita todos os protestos, desde que sejam feitos em local e maneira adequados. Atos de violência são inaceitáveis e por isso serão reprimidos.

O Palmeiras irá fornecer todas as provas, imagens e testemunhos de quem acompanhou o episódio para auxiliar as autoridades.

Maurício Galiotte
Presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras

552 visitas - Fonte: GloboEsporte

Mais notícias do Palmeiras

Notícias de contratações do Palmeiras
Notícias mais lidas

Cosme Primo     

me lembro que Paulo nobre não tinha diálogo com torcidas organizadas e fez muito bem.
hj tá uma bagunça é inadmissível vandalismo com um cidadão em função do seu trabalho

Concordo plenamente! Protesto sim, delinquência jamais!!!!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias