8/8/2018 12:53

Genaro Marino desconversa sobre presidência e teme rumos no clube

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Genaro Marino é o primeiro vice-presidente do Palmeiras, mas na prática é considerado o principal nome a concorrer à presidência contra Maurício Galiotte, embora diga que ainda não há uma decisão tomada. Afastado da gestão, o agora oposicionista falou ao LANCE! depois da assembleia dos sócios, que confirmou mudanças no estatuto do clube.


Ainda ligados a Paulo Nobre, também rompido com Galiotte, Genaro e outros dois vices (Victor Fruges e José Carlos Tomaselli) trabalharam para que não fosse aprovado o aumento do mandato presidencial nesta próxima eleição - acabaram derrotados. Conseguiram, ao menos, levar de volta ao Conselho Deliberativo a discussão quanto ao número de vitalícios no órgão. Por isso, prefere ver o copo "meio cheio".

Sua preocupação, aumentada depois da assembleia, está nos rumos do clube, que para ele não vive atualmente em uma democracia. Durante a conversa com o L!, disse não ser contra Leila Pereira, patrocinadora e conselheira da Crefisa, mas quer "dar as mãos da forma certa". Veja abaixo os temas conversados com o dirigente eleito.

- Qual a avaliação feita por vocês do resultado da assembleia de sócios?
Eu vejo o copo meio cheio. Não éramos contra o sim, porque participamos desde a gestão do Paulo Nobre de forma direta ou indireta das comissões de estudo de estatuto. Só que a forma como foi colocada na reunião do Conselho Deliberativo não condiz com o que as comissões do estatuto trabalhavam. O item 6 (mudança do mandato presidencial) e item 9 (número de conselheiros vitalícios) não estavam de acordo. E no item 9 tivemos uma votação expressiva; na 6 foram 753 votos, e 756 no 6a (emenda para que o aumento de mandato valesse já nesta eleição), que era nossa intenção de não ser a partir desta gestão, mas sim na próxima, independente do presidente. Defendemos a ética, que achamos que do lado do sim não teve. Mas parabenizo os sócios que foram votar e proporcionaram nos dois itens votações expressivas.

- O que não concordou com a campanha a favor do "sim"?
Colocaram de forma que quem não era a favor também não era a favor da modernidade. Mas o que queríamos era ética em primeiro lugar. Grupos como Fanfulla, Palestra, Verdes Escuros queriam também divulgar aos sócios explicações, como fez a turma do "sim", com festas, pizzas e tiveram acesso à lista dos sócios. Este grupo pediu e não foi atendido. Eu pedi diretamente e foi dito que não poderia (ter acesso à lista de sócios). Não tivemos a mesma força financeira, também, nem os diretores da atual gestão trabalhando, como foi pelo "sim". O trabalho foi muito mais boca a boca, no dia. Esta eleição teve muitas ilegalidades. O "sim" não mostrou que é sim para tudo, ninguém fala sim para tudo. O "não" ali era para se adequar, para voltar ao Conselho. Ninguém é contra modernidade, modernidade é boa. Mas não vimos modernidade na modernidade deles.

- Como você define sua posição neste assunto?
Não somos contra o "sim", nem contra a modernidade, somos responsáveis por toda a modernidade do clube atual. A reforma dos prédios na sede social, o SAP (software de administração integrada de diferentes departamentos no clube). Não vejo como moderno a falta de ética, não permitir grupos chegarem aos sócios, usar a máquina (do governo). Também somos a favor de três anos, isto começou a ser discutido conosco. Hoje a gestão tem mais de 150 conselheiros como diretores. É moderno colocar os conselheiros como diretores? Três anos a partir desta gestão é como mudar a regra durante o jogo. Incomoda o conflito de interesses que faz o Palmeiras correr riscos, um patrocinador forte financeiramente ser conselheiro e ter pressão em tudo. O presidente aceitou isso. Eu fui vice eleito dele, não concordamos com a proposta do seu Mustafá (Contursi), de que (Leila Pereira) era sócia desde 1996, foi registrada em 2015 e não daria tempo de ser votada. Fomos contra e ficamos à margem da gestão. Não somos ouvidos, não há uma democracia.

- Se não era contra a mudança, por que votou contra?
O argumento para aprovar é de que o presidente precisa de temo para administrar o clube sem preocupação política. Mas mudou o tempo só da diretoria executiva, não mudou o tempo de mandato do presidente do CD, do COF. Ou seja, vai ter de perder tempo com política nestes casos, porque é preciso colocar alguém para ajudar a governar. Queríamos discutir e fazer uma alteração só, sem colcha de retalhos.

- Na véspera da votação, apareceu uma imagem do circuito de segurança em que você encontra Mustafá Contursi. O que ocorreu ali?
Pegaram imagens do circuito interno, mostrando um cumprimento ao ex-presidente no café do clube. Sinal de que estão atentos, mas atentos ao Mustafá, que é criador deles, quem colocou (Leila) no clube e apoiou o Maurício. Respeitamos o seu Mustafá, só não compactuamos com sua forma de administrar. Eu converso com todos, com o seu (Luiz Gonzaga) Belluzzo (ex-presidente), com o Seraphim (Del Grande, presidente do CD). Eu sempre fui do clube, sou conselheiro desde a década de 90, fui diretor social junto do Paulo Nobre. Desde a época do Mustafá (que deixou o cargo em 2005) eu convivi com todos os presidentes, vários técnicos de futebol. Eu posso ajudar, e depois de tanto tempo fica à margem porque não concordou da forma não legal que a coisa (entrada de Leila Pereira no Conselho) foi feita? (Nota da redação: Mustafá hoje está rompido com Leila e Maurício, e é provável que apoie uma candidatura de oposição, como pode ser de Genaro, especialmente para aprovação da chapa no filtro do Conselho Deliberativo).

- Com a eleição se aproximando, o que acontecerá politicamente?
Eu não quero tumultuar o Palmeiras, mas não posso deixar de cuidar como gestor eleito, responsável e cobrado por um grupo que não é maioria, mas é representativo. A árvore foi plantada e agora é hora de cuidar do fruto, que vem sendo desperdiçado. E este desperdício faz a gestão de uma forma ou outra encobrir isso, como foi a mudança do contrato (da Crefisa) ilegal no fim do ano. Alguns nem sabem o que passou. Agora querem tirar do COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) sua própria função, de analisar e orientar os contratos. O COF, que é técnico, analisa contas, dizem que está errado e é político. E estão levando para o CD, que é político. São mais de 100 conselheiros diretores. Lá tem capacidade de aprovar (as contas), mas está certo? O contrato alterado tinha de ter sido discutido antes, não depois. Qualquer desculpa agora será arranjo. A causa básica foi o erro. É difícil ser eleito, fazer parte de uma gestão e ter que ir às vezes contra o poder. (Nota da redação II: O COF recusou as contas do clube nos três primeiros meses de 2018, por conta dos aditivos nos contratos da Crefisa. A diretoria argumenta que a decisão é política, motivada por Mustafá Contursi, ainda influente no órgão. Por isso, Maurício Galiotte vai convocar uma reunião no Conselho Deliberativo para tratar o assunto. Leila Pereira, por sua vez, afirma que as alterações não vão prejudicar o clube).

- Você, Fruges e Tomaselli chegaram a soltar uma nota de repúdio a Leila Pereira, que respondeu dizendo que o desejo de vocês é ver a Crefisa fora do Palmeiras. Como é a relação com a parceira?
(Quando houve a votação para a entrada de Leila no Conselho) À medida que ele (Maurício) tinha leitura de que tinha que fazer (colocá-la no CD), eu disse "não", porque o ex-presidente Paulo Nobre havia feito um parecer jurídico e deu que ela não poderia ser votada. Ali foi uma opção do Maurício, não culpo a patrocinadora. Se ela gosta e ajuda o Palmeiras, é bem-vinda, é até uma bênção, sabendo que em 2013 e 2014 passamos anos de penúria. Mas não é por isso que acho que temos que desperdiçar. Transformou-se um contrato da noite para o dia em débito retroativo. Não posso aceitar isso como gestor do clube. Não somos contra ninguém, só queremos que se faça o certo.

- Na oposição repetem muito que você será o candidato contra Maurício no pleito do fim do ano. Isto já está certo?
Não, agosto historicamente é um mês de definições políticas no clube, mas agora não importa se é ano eleitoral ou não. A coisa não pode crescer de forma errada. A preocupação hoje é essa. Os grupos estão buscando (nomes), tem uma série de movimentos, mas não fizemos nada para não tumultuar o futebol.

5745 visitas - Fonte: Lance!

Mais notícias do Palmeiras

Notícias de contratações do Palmeiras
Notícias mais lidas

Quer ter todos os canais de tv por assinatura?Como Telecine, HBO,Premieres, SporTV, Foxsports, ESPN,canais infantis, documentários, Filmes Ondemand, Séries, são mais de 10500 canais, é possível assistir em celular, tablet, computador, smartv,tv Box,só precisa ter internet,o melhor de tudo é o preço que está muito acessível,quem quiser adquirir estes canais é só entrar em contato comigo, faça um teste de quatro horas e comprove a qualidade de imagem e som, WhatsApp 1198845 7966 Altair

Boa tarde Daniel vx nao cansa de entrar na pagina dd palmeirenses todo dia.vai trabalhar

É isso mesmo esses dinossauros tem que sair tudo principalmente o Mosca sapo do inferno fora do meu Palmeiras cretina

Sem comentarios contra esse lixo de dirigentes antigos e e sem amor ao nosso palestra : força Leila estou com vc pelo nosso verdao.

FAZEMOS DESBLOQUEIO DOS CANAIS PREMIERE TELECINE HBO COMBATE E CANAIS ADULTOS PARA ASSINANTES DE TV POR ASSINATURA DE QUALQUER LUGAR DO BRASIL E TAMBÉM REDUZIMOS O VALOR DA FATURA. SÓ PAGA DEPOIS QUE O SERVIÇO FOR FEITO WHATSAPP 11 962751796

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias