12/10/2018 08:28

Luan explica razões de bom momento no Palmeiras

Foto: Cesar Greco / Ag Palmeiras

Depois de passar pelo primeiro semestre como quarta opção para a zaga do Palmeiras, Luan voltou a conviver com elogios e com uma sequência de destaque no clube. Para que o atual momento virasse realidade, o atleta de 25 anos teve de enfrentar mudanças.


Capitão da equipe do Palmeiras que vem atuando com mais frequência no Campeonato Brasileiro, Luan cita sua evolução como profissional como fundamental para aproveitar as oportunidades dadas pela atual comissão técnica do Verdão.

– Trabalhei muito no tempo em que não estava jogando, treinei muito mais do que treinei na minha carreira inteira. Procurei me alimentar melhor. Me conscientizei que tinha de me profissionalizar mais para que eu tivesse mais oportunidades. Não que eu era um largado antes, mas quando você quer vencer na vida e jogar no Palmeiras precisa fazer algo a mais e evoluir – disse o atleta.

– Procurei abrir mão das coisas que eu fazia que poderiam me atrapalhar e busquei mais treinamento, mais conhecimento do meu corpo e o que fazer para melhorar meu desempenho. Calhou de o professor chegar e eu estar me sentindo na melhor forma possível. Se ele tivesse chegado e eu estivesse largado não teria as oportunidades que venho tendo agora – completou.

Para Luan, a preparação emocional de um atleta de time grande é tão importante quanto a parte física.

– Tenho 25 anos, sou novo, mas não sou tão novo assim. É o momento de eu equilibrar a minha carreira, crescer e ganhar com o Palmeiras.

– Quando não está jogando, você pensa que não é tão bom quanto as pessoas já disseram uma vez. Quando está jogando dizem que você é o melhor do mundo e você também não é tão bom assim. Procurei sempre me confortar e ao mesmo tempo me tirar da zona de conforto para buscar um equilíbrio na minha vida e na minha carreira - acrescentou o atleta.

Elogiado publicamente por Felipão, Luan se tornou peça importante na equipe palmeirense e superou a irregularidade que vinha marcando sua passagem pelo clube desde o ano passado. Atualmente, ele vem atuando ao lado de Gustavo Gómez e ajudou a construir uma série de três gols sofridos nos últimos 12 jogos do Campeonato Brasileiro.

No domingo, Luiz Felipe Scolari será obrigado a mexer na equipe porque Gustavo Gómez foi convocado pela seleção paraguaia. Edu Dracena e Antônio Carlos, que atuam com mais regularidade na Libertadores, estão à disposição para a partida contra o Grêmio, domingo, às 16h.

Felipão
– Ele tem um diálogo muito aberto com todos. Ele me pergunta como estou me sentindo, o que eu acho disso ou daquilo. Eu sou um dos capitães da equipe hoje. Isso te deixa à vontade para trabalhar e expor as suas opiniões. Fico feliz pela confiança deles e pela troca de experiências, ainda mais por quem ele é. Felipão é um pentacampeão do mundo, fez um grande trabalho na seleção de Portugal, trabalhou no Chelsea, é o maior treinador da história do Palmeiras... Não tenho o que falar, procurar filtrar essa coisa positiva dele, está sempre de alto astral. Estou muito feliz por trabalhar com ele. Espero aproveitar, crescer e evoluir o máximo que eu puder.


Elogios do treinador
– Fiquei muito honrado, mas não posso me sentir o melhor zagueiro do futebol brasileiro como se não estivesse jogando não poderia me sentir o pior zagueiro do mundo. Tem de buscar um equilíbrio e evoluir. Minha meta aqui sempre foi querer jogar e ajudar o Palmeiras a ganhar. Vim para cá para ganhar e crescer.

Defesa
– Ele (Felipão) começa a cobrar isso desde o atacante, para pressionar e encurtar. Ele gosta muito esse jogo de não deixar o outro time pensar, estar fechadinho e sem desarrumar. O Paulo (Turra, auxiliar) é um cara bem insistente nisso, um chato do bem, sempre chama para corrigir isso ou aquilo, acaba o treino ele faz um trabalho com a nossa linha defensiva. Você acaba conhecendo melhor o nosso companheiro. O Felipão sempre pede isso, para conhecer com estamos jogando ao lado, e que um tem de suprir o que falta um pouco no outro. Assim você consegue se completar e ser um grande time.

Características do capitão
– Ter um bom diálogo com todos, ser respeitado por eles e respeitá-los também. Me dou bem com todos, não sou um cara fechado. Eu gosto de brincar, mas no trabalho somos mais sérios. Tenho amizade com todos.

Novo momento
– No período que não estava jogando nunca reclamei, nunca fiquei cabisbaixo. Trabalhei e procurei ajudar. Quando não estava relacionado ia aos jogos para dar apoio aos jogadores e para também mostrar que eu estava ali. Eu gosto e quero estar juntos. Se a gente conseguir ganhar a Libertadores, eu joguei dois jogos, mas estou presente em quase todos. Sou amigo da galera que está jogando aqui. Fico muito feliz.

1398 visitas - Fonte: Globo Esporte

Mais notícias do Palmeiras

Notícias de contratações do Palmeiras
Notícias mais lidas

Isso ai. Luan Verdao precisa daquele q Veste Camisa com honra.Parabens segue assim Futuro o premiará.Pra cima Verdao

Janpierre Gomes     

Tá jogando muito Luan você e Gustavo Gomes merecem ser os titulares do Palmeiras com toda certeza

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias