20/6/2022 13:49

Piquerez sonha com mais títulos no Palmeiras e quer ganhar a Copa pelo Uruguai

Lateral-esquerdo é dono de bons números com a camisa do Verdão. Há quase um ano no Brasil, ele fala sobre adaptação ao país, rotina em São Paulo e saudade da família

Com quase um ano de Brasil, Piquerez vive momento de afirmação dentro e fora de campo. Titular absoluto do Palmeiras, o lateral-esquerdo já consegue se fazer compreender no português e, recuperado de lesão, voltou a ter participação importante no time de Abel Ferreira.



Destaques em um Verdão que vem em bons momentos no Brasileirão, na Copa do Brasil e na Libertadores, ele tem a sensação de estar mais em casa em São Paulo.

– É muito diferente. O Uruguai é um país pequeno. Só em São Paulo tem 20 milhões de habitantes. A diferença é muito grande. Tem um tempo de adaptação. Agora estou bem, aqui tem muitos jogos e isso faz com que o dia a dia passe mais rapidamente. Estou bem no Palmeiras, feliz e adaptado – afirmou Piquerez, em entrevista ao ge.

– Quando eu cheguei tinha só dois gringos, Gómez e Kuscevic. No começo falava mais com eles e depois comecei a fazer novas amizades, tipo com Scarpa e Veiga... Falar português fez as coisas serem mais fáceis. Português e espanhol são similares, com fluidez vai saindo.

A adaptação ao Brasil foi mais difícil no início por causa do idioma e também pela ausência da família. Aos 22 anos, ele decidiu viver a primeira experiência longe dos pais e da irmã, a quem ele carrega em uma tatuagem e também em fotos espalhadas em seu apartamento. Até o cachorro Tabo é lembrado em um quadro exposto ao lado dos troféus conquistados pelo Verdão.


– O vínculo familiar é forte, somos unidos. A minha saída foi esperada. Era um sonho sair do Uruguai para jogar futebol em outro país. Mas o Uruguai é perto, quase duas horas e meia (de voo). Eles vêm sempre para cá, meu pai gosta muito do Brasil. É diferente, lógico, por não estar todos os dias lá, mas estou bastante em contato com eles e por isso a saudade não é tão grande – citou o jogador.

Longe de casa, Piquerez deixou para trás o status de aposta da diretoria do Verdão e virou realidade. Os números provam a sua importância para a equipe comandada por Abel Ferreira.


Desde a sua estreia, o lateral participou de 41 dos 66 jogos do Verdão no período. Com o uruguaio em campo, são 70,7% de aproveitamento (26 vitórias, nove empates e seis derrotas) e média de 0,71 gols sofridos, de acordo com levantamento do Espião Estatístico*. Sem ele, o desempenho palmeirense cai para 62,7% de aproveitamento (14 vitórias, cinco empates e seis derrotas em 25 partidas) e média de 0,88 gols sofridos.

– O Piquerez do ano passado para o de agora tem uma evolução muito grande. O futebol brasileiro é muito forte, tanto que brigamos com o Chelsea no Mundial de Clubes e perdemos nos últimos minutos. O futebol brasileiro está no nível das ligas da Europa. Meu crescimento tem sido bom, e agora a equipe vem bem. Temos de seguir lutando.

– Quando eu cheguei já conhecia o Palmeiras, vinha bem há algum tempo. Mas para falar a verdade não imaginava viver o que estou vivendo agora. Depois de dois meses já fui campeão da Libertadores e logo depois joguei o Mundial contra o Chelsea. Mais recentemente teve essa virada histórica no Paulista. Foi algo muito bonito que não imaginava, temos que seguir por esse caminho para lutar e ganhar mais títulos – acrescentou.


O calendário com sequência intensa de jogos e viagens ainda mantém o atleta em uma rotina mais caseira na região da Academia de Futebol. Se a comunicação em português já é uma realidade, ele ainda não encarou o tradicional prato de arroz com feijão. Mas o mate – uruguaio, é claro – o acompanha em casa e na concentração.

O idioma, que já foi uma barreira no início, hoje o faz ser importante para a adaptação de outro uruguaio: o atacante Miguel Merentiel, reforço contratado que só poderá estrear após o dia 18 de julho, na abertura da janela.

– Passo muito tempo no CT. Depois de treinar sempre fico para almoçar, fazer recuperação. Eu gosto de ficar em casa, tenho videogame, xadrez, cubo mágico, tenho livros e estou lendo sobre histórias das guerras. Já sabia e estou relembrando. Sou mais tranquilo, de ficar em casa – disse o jogador, que falou também sobre os primeiros momentos do compatriota no clube.


– Ele (Merentiel) não fala nada de português, é pior que eu quando cheguei (risos). Estou perto para ajudar ele. Uruguaio tem que ajudar uruguaio, né? No decorrer dos dias vai melhorando.

O Palmeiras enfrenta o São Paulo nesta segunda-feira, às 20h (de Brasília), pelo Brasileirão, e depois volta ao Morumbi na próxima quinta-feira para abrir as oitavas de final da Copa do Brasil contra o time tricolor. A sequência de clássicos é valorizada, mas não há preferência por uma ou outra disputa, como o técnico Abel Ferreira já deixou claro em entrevista.

– Para nós não muda a nossa forma de jogar. O Palmeiras vai jogar sempre para ganhar. Tem esse "plus" por ser um clássico (na Copa do Brasil), já ganhamos a final do Paulistão deles. Vai ser jogo de 180 minutos. Tem que estar focado para fazer acontecer – contou o atleta, que destacou o momento da equipe no Brasileirão.


+ Bora de Brasileirão! A maior oferta de jogos por um preço que dá jogo. Assine o Premiere!

– É saber o momento que estamos vivendo, que é bom, mas lembrar que no ano passado não estávamos muito bem no Brasileiro antes da final da Libertadores. Temos que saber que agora que estamos bem não somos os melhores, e não éramos os piores quando estávamos mal. Temos que manter o foco, fazer o trabalho que o treinador pede. O Brasileiro é uma campanha de resistência e não de velocidade. Precisamos manter o foco.

Na briga por mais três títulos na temporada de 2022 com a camisa palmeirense, Piquerez tem projetos para o futuro da sua carreira. O lateral sonha também em jogar uma Copa do Mundo. Nome presente em convocações recentes do Uruguai, ele quer manter o bom nível com a camisa palmeirense para ser lembrado e ter a oportunidade de representar seu país no Catar, no fim do ano.

– A expectativa é grande. Eu tenho 23 anos, seria minha primeira Copa do Mundo. Estou tranquilo e sei que para ter a possibilidade de brigar por uma vaga para a Copa tenho que fazer as coisas bem no Palmeiras. Acho que venho fazer as coisas bem, mas preciso continuar. O Palmeiras tem que continuar brigando por títulos e ganhando coisas importantes. Tenho que estar focado em jogar no Palmeiras, jogando bem tenho mais possibilidades. Para um jogador de futebol, chegar a uma Copa do Mundo é a coisa mais importante que tem – contou o lateral, que valoriza seu momento no clube.



– Sem dúvida que é um sonho para mim jogar na Europa também, mas cheguei (no Brasil) e não achava que o Palmeiras era tão grande. Estou feliz aqui e quero ficar mais tempo aqui, ganhar mais títulos. Tenho que continuar fazendo as coisas aqui para fazer o Palmeiras vencer mais.



VEJA TAMBÉM
- Novo dono do Chelsea quer pagar R$ 278,6 milhões para comprar xodó da torcida do Palmeiras
- Palmeiras pode atingir marca inédita na Libertadores
- Disputado: Clube italiano promete acirrar disputa com o Manchester United para tirar Gabriel Veron do Palmeiras

LEIA TAMBÉM: Barcelona observará joia Endrick em torneio na França


E MAIS: No Brasileirão, Palmeiras vai buscar título inédito na era Abel Ferreira

E MAIS: Comissão técnica do Palmeiras pediu a manutenção de jovens da base













693 visitas - Fonte: Globo esporte

Mais notícias do Palmeiras

Notícias de contratações do Palmeiras
Notícias mais lidas

Parabéns Piqueres, assim se faz um grande homem, com certeza um grande jogador . Parabéns!!!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou .

Últimas notícias

Próximo Jogo - Brasileiro

Sáb - 21:00 - Allianz Parque - Sportv
Palmeiras
Atlético PR

Último jogo - Libertadores

Qua - 19:15 - Gen. Pablo rojas
Cerro Porteño
0 3
Palmeiras