13/1/2021 08:15

[ANÁLISE] Palmeiras flerta com tragédia cinematográfica, mas sobrevive ao River no fim

O 3 a 0 na ida poderia indicar uma tranquila classificação do Palmeiras para a decisão da Copa Libertadores. Porém, do outro lado, havia mais que um simples time, havia cultura de futebol. Um trabalho de mais de meia década, vencedor e poderoso. Não se poderia duvidar do River Plate de Marcelo Gallardo, e o elenco de Abel Ferreira flertou com uma tragédia digna de cinema. No fim, os créditos subiram com o sobrevivente vencedor.

A equipe palestrina resistiu no fim a uma das melhores versões do “Gallardismo” e está na final do principal torneio sul-americano. A obsessão pela segunda glória eterna segue viva, mais do que viva. O Palmeiras não está morto. Nem no ano passado. Nem neste ano.

Quase tudo o que deu certo na ida, na Argentina, deu errado na volta, no Allianz Parque. No espaço de uma semana, Marcelo Gallardo e o River Plate entenderam como superar o Palmeiras de Abel Ferreira, e assim fizeram durante os mais de 100 minutos de bola rolando na arena. Cem minutos que, para o torcedor palmeirense, devem ter durado 100 horas.

O resultado só não foi maior por circunstâncias que fugiram ao controle dos argentinos. Primeiro, antes de entrar em qualquer polêmica, Weverton. Se na ida, anotou um “gol” ao salvar o Palmeiras no início. Na volta, fez alguns “gols” que impediram o River Plate de zerar a vantagem construída pelo alviverde na ida.

Em seguida, o árbitro de vídeo. Todas as decisões acabaram corrigidas de maneira precisa, como a melhor versão exige. A tecnologia, alvo de tantos debates e protagonista até de (inacreditáveis) teorias da conspiração, auxiliou a arbitragem a anular um gol do River Plate por impedimento e a cancelar a marcação de dois pênaltis – o último já nos acréscimos, por posição irregular.

A noite de 12 de janeiro de 2021 está marcada na história do Palmeiras. Nenhum palmeirense vai esquecer o que viveu durante os 90 minutos em que a tragédia anunciada parecia questão de tempo. Mais do que a felicidade, o sentimento deve ser de alívio pelo retorno à final da Libertadores, após duas décadas.

Agora são duas semanas para recompor torcedor, time e comissão técnica. O Palmeiras de Abel Ferreira não é esse dominado completamente pelo River Plate, em momentos que pareciam dois times de rotações diferentes. O susto no fim das contas fica em segundo plano. Há uma sensação de que nada pode ser pior.

Na Libertadores, a cultura do resultado no fim pode pesar mais do que a cultura de um trabalho vencedor, poderoso e impressionante, como o de Gallardo. Na matemática, o Palmeiras fez três gols no River Plate, que respondeu com dois na terça-feira. Isso foi o suficiente para o torcedor alviverde, 20 anos e alguns meses depois, novamente comemorar uma vaga na final da América.


O que deu certo

Podemos pular essa parte. Ou, melhor, individualizar.

Ao contrário da cultura de Abel Ferreira, que geralmente evita comentários individuais sobre o desempenho dos jogadores, procurando analisar o coletivo, a noite de terça-feira teve um ponto positivo: Weverton.

Ter um goleiro de seleção brasileira fez a maior diferença para o Palmeiras. O abraço de Abel Ferreira e o reconhecimento de Gallardo, ambos no fim do jogo, simbolizam o tamanho da noite vivida pelo jogador no Allianz Parque.

O que deu errado

O Palmeiras repetiu a estratégia da ida, com uma defesa de bloco baixo formada por cinco homens (Gabriel Menino na lateral). Porém, dificilmente Marcelo Gallardo cairia na mesma armadilha duas vezes. O confronto no Allianz Parque teve o controle millonario, quase do apito inicial ao final.

O River Plate conseguiu controlar o jogo e achar os espaços mesmo diante dessa estratégia. Pelas laterais, com Montiel e Angileri, os argentinos ameaçaram constantemente uma insegura defesa palmeirense, ainda mais fragilizada com a lesão de Gustavo Gómez.

No fim da partida, o River Plate finalizou 26 vezes, contra 6 do Palmeiras. O River Plate teve 10 escanteios a favor, contra 1 do Palmeiras. Nunca na história desse país (no caso, desde a reinauguração da arena), um clube exerceu tamanho domínio dentro da casa do time alviverde.

Psicologicamente, o Palmeiras aparentemente sofreu. A falta de experiência atacou no momento mais difícil e quase levou a equipe a uma eliminação histórica. O próprio Abel Ferreira admitiu que essa maior “cancha” favoreceu o River Plate na volta.

Cria-se uma casca importante, ainda mais diante de uma final em jogo único contra um antigo algoz continental (Boca Juniors) ou um rival estadual (Santos).

Próximos passos

O Palmeiras sequer terá muito tempo para baixar a guarda e refletir. Embora a decisão da Copa Libertadores esteja agendada para o dia 30, a equipe alviverde possui três compromissos importantes pelo Campeonato Brasileiro, que podem minar (ou retomar) a confiança do time no momento mais decisivo da temporada.

Na sexta-feira, novamente no Allianz Parque, a equipe encara o Grêmio, em uma prévia da decisão da Copa do Brasil. Na segunda-feira, a arena recebe o Dérbi contra o Corinthians. Dia 21, o rival é o Flamengo, adversário direto na disputa por um lugar no G-4.







Palmeiras, Análise, Semifinal, Libertadores



LEIA TAMBÉM: Gabriel Veron tem o perfil do Barcelona, diz jornal catalão

LEIA TAMBÉM: À frente de gigantes, Palmeiras é eleito segundo melhor time do mundo em 2020 por órgão; confira

LEIA TAMBÉM: Melhor jogador da Libertadores ganhará anel de pedras preciosas, quem será que vai ganhar a joia?




2385 visitas - Fonte: Globo Esporte

Mais notícias do Palmeiras

Notícias de contratações do Palmeiras
Notícias mais lidas

Alecio Ravanelli     

Obrigado Ewerton

Bem vamos falar assim. Amassamos e fomos amassados. Mas no primeiro jogo fizemos 3 e no segundo tomamos 2. Estamos na final. Espero que na final joguemos so isso joguemos.

O verdso infelismente nao tem um jogador que impoem respeito no momento, so o mello e esta machucado e o gustavo amatelou arrumando ums distensão

Voces nao acham que o Gomes amarelou

Sofremos o time tremeu mesmo, faltou um jogador cascudo q tranquilizasse o time, Danilo e menino foram o exemplo disso e o Abel ñ soube mudar a estratégia dobjogo de volta dai deu nisso....

O cabeça de jumento do milton neces disse q o palmeiras passou por causa do apito e do war ,aquele cabeça de jumento, não passa de um imbecil recalcado!

Roberto Tolin     

Não é só de mulecada que se faz um time vencedor. É preciso mesclar com jogadores experientes. O jogo fe ontem é a prova disso. O único que tentava equilibrar o nervosismo era o Luiz Adriano. Não podemos repetir esse jogo novamente, nem sempre sorte e milagres acontecem. Estamos com sorte de campeão mas tudo tem limite e já abusamos demais.

Adauto Pinto     

Que jogo loco, torcer para que criaram casca e fiquem espertos + ligados no 380 volts

Rudy Silva     

Volto a falar o que falei antes dos dois jogos. O Palmeiras enfrentou o melhor time da America, que é treinado por um dos maiores técnicos do mundo a 6 anos. Uma equipe com exelentes jogadores, entrosada, com padrão de jogo e tatica. E tudo isso só engrandeceu a classificação do Palmeiras.

Danilo Gasparete     

Jogo é assim mesmo, vamos estudar as lições aprendidas com este jogo e procurar melhorar. Vamos forte para final, Avanti Palmeiras

Humberto Marino     

Infelizmente o time amarelou faltou o Felipe Melo com sua experiência para comandar o time. Passamos mais temos que melhorar para sermos campeões

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou .

Últimas notícias

Próximo Jogo - Brasileiro

Dom - 16:00 - Castelão - Globo,TNT
Ceará
Palmeiras

Último jogo - Brasileiro

Qui - 19:00 - Mané Garrincha
Flamengo
2 0
Palmeiras
Untitled Document
Classificação
1 São Paulo
2 Internacional
3 Atletico-MG
4 Flamengo
5 Palmeiras
6 Grêmio
7 Fluminense
8 Santos
9 Corinthians
10 Atletico Paranaense
11 Ceará
12 Bragantino
13 Atletico Goianiense
14 Sport Recife
15 Vasco DA Gama
16 Fortaleza EC
17 Bahia
18 Goiás
19 Coritiba
20 Botafogo
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
57 30 16 9 5 50 28 22 VVDDE
56 30 16 8 6 48 28 20 VVVVV
53 29 16 5 8 51 37 14 VDVEV
52 29 15 7 7 50 39 11 VEDDV
51 29 14 9 6 43 26 17 DVVEV
50 29 12 14 3 38 24 14 EVVEE
46 30 13 7 10 40 37 3 DDVDV
45 29 12 9 8 41 36 5 DDEVV
42 29 11 9 9 35 34 1 VVVVD
39 30 11 6 13 27 29 -2 VVVEE
39 30 10 9 11 41 41 0 VEDVD
38 30 9 11 10 39 36 3 DDVEV
36 30 8 12 10 27 36 -9 VDEED
32 30 9 5 16 24 38 -14 EDVDD
32 29 8 8 13 29 40 -11 VDEVD
32 30 7 11 12 26 30 -4 DEDED
29 29 8 5 16 35 51 -16 DDDDE
26 30 6 8 16 29 47 -18 DVVDD
25 30 6 7 17 23 39 -16 DDDEV
23 30 4 11 15 26 46 -20 VDDDD
Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
vitoria empate derrota
Untitled Document
Classificação
1 Palmeiras
2 Santo André
3 Novorizontino
4 Botafogo SP
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
22 12 6 4 2 17 6 11 EEEDV
20 12 6 2 4 14 13 1 EDDED
19 12 4 7 1 12 8 4 VEEDV
11 12 3 2 7 9 23 -14 DVDVD
Untitled Document
Classificação
1 Palmeiras
2 Guarani Campinas
3 Bolívar
4 Tigre
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
13 5 4 1 0 12 2 10 VVVEV
10 5 3 1 1 10 5 5 VDVEV
4 5 1 1 3 4 10 -6 DVDED
1 5 0 1 4 3 12 -9 DDDED